O Meu Admirável Mundo da Escrita, by Lúcia José


"Magic Books"

Enquanto folheava o jornal, Carlos deparou-se com o anúncio:
"Editora Magic Books  Precisa-se colaborador com gosto por livros e espírito criativo."

Esfregou as mãos e pensou radiante: É mesmo isto que eu estava à procura!
Não perdia nada em tentar, até porque estes últimos meses à procura de trabalho tinham sido desesperantes... O seu percurso como escritor tinha-lhe corrido bem, mas, há cerca de um ano que não conseguia publicar nada e agora o futuro parecia-lhe incerto… Tinha de arranjar alguma coisa para fazer e rápido!

Ligou para o contacto do anúncio. Uma voz cordial, mas um tanto misteriosa, respondeu do outro lado.

– Estou?  
 Tou sim, é da Magic Books?
– É sim. O que deseja?
Vi o vosso anúncio e gostaria de me candidatar ao emprego.

Do outro lado um silêncio de 5 segundos, que mais parecia uma hora…

Apresente-se à meia-noite, na morada indicada.
Muito obrigada! Ah, outra coisa, qual é a função que pretendem ver prenchida?

Do outro lado, nada, já tinham desligado! Entrevista à meia-noite? Muito estranho, e nem sabia o lugar a que se estava a candidatar!

À hora marcada lá estava ele numa rua estreita e escondida, em frente a uma grande porta de madeira com ferragens antigas de aspecto envelhecido. Tocou à campainha.

Um longo 'dlim dlom' ecoou pelo ar. A porta abriu-se.

Veio recebê-lo um homem alto de longas barbas brancas, vestido com se fosse um feiticeiro e, pasme-se, nem lhe faltava o chapéu pontiagudo!

Carlos pensou que só poderia ser uma brincadeira! De muito mau gosto…

Entre! Ordenou a voz do homem.

Ele nem se atreveu a questionar e entrou.

Carlos sentiu-se imediatamente catapultado para uma outra dimensão!
Ao fundo da sala estava uma estante com livros e, no centro, uma grande mesa cheia de pequenos frascos de várias cores e toda uma parafernália de objectos dignos de um autêntico laboratório alquímico!
Não queria acreditar em tudo aquilo que os seus olhos viam...

Foi conduzido a um pequeno escritório e ambos se sentaram.
O homem apresentou-se:

Eu chamo-me Merlin, sou o décimo de várias gerações de feiticeiros!
Eu chamo-me Carlos, sou escritor.
Aqui produzem-se livros de magia através de compostos alquímicos e grande intuição! Interessa-lhe?
Sim… Balbuciou ele, meio incrédulo…
Devo alertá-lo de que tudo o que se passa neste local deve ficar em completo sigilo! Entraremos em contato.

Carlos acordou estremunhado e recordou-se do sonho avassalador que tinha tido.

A imaginação podia ser uma coisa :) assombrosa.

Espreguiçou-se e soltou uma gargalhada bem-disposta!

Virou-se na cama e reparou num pequeno cartão sobre a mesinha de cabeceira.

De um dos lados o nome Magic Books, do outro lado duas palavras:
"Foi admitido."

Lúcia José

Nota da autora:
É com muita honra que partilho convosco esta que é a minha primeira história publicada em livro!
Sob a chancela da Chiado Editora, este texto integra a 2.ª edição da obra "Um Livro Num Dia, Vol. III", que assinalou o Dia Mundial do Livro 2017, no passado dia 23 de Abril.





2 comentários

Ana L Cruz disse...

Bom dia, quero deixar o meu apoio e admiração para a minha querida amiga Lúcia José pela sua escrita.mto sucesso miga tu mereces . beijinhos.

Lúcia José disse...

Minha querida Ana, fiquei tão feliz por teres passado por aqui e deixado o teu comentário...
És uma amiga tão querida, estás no meu coração ❤.
Adorei esta surpresa!
Grata pela tua lembrança e apoio...
Porque a amizade é mesmo isto, a soma das partes será sempre maior do que o valor de cada uma em separado.
Muitos beijinhos.

Com tecnologia do Blogger.