Fados e Guitarradas


Entre fados e guitarradas celebrámos a música, a tradição e o sentir português. Entre fados e guitarradas sentimos as cores, as pinceladas, os traços de 8 artistas plásticos e das suas obras dedicadas ao Fado, Património Cultural Imaterial da Humanidade.  Desde domingo que na Biblioteca Operária Oeirense se sente o Fado em cada canto e recanto. As paredes exibem orgulhosas a paixão que cada artista colocou no seu trabalho. Como vivem, como sentem, como veem o Fado. Esse cartão de visita que revela a nossa alma. Foi tão bom regressar à Biblioteca Operária Oeirense e recordar momentos  de outros tempos.  Tempos que já lá vão mas que guardo com imenso carinho nas minhas memórias. E foi tão bom (re)descobrir o trabalho de Idília Silva. Foi dela que partiu o convite para estar presente nesta inauguração, porque ela sabe como sou fã da sua arte. Ela sabe que eu acredito neste seu caminho que embora secundário irá chegar à estrada principal. Os percursos não terão fim e cada um de nós irá reconhecer o seu talento, o seu amor pela pintura e a sua expressão única. "Conquista Lusitana", a sua obra, conquistou alguns dos corações presentes, pelas sua força e pela sua alma!

Foi um final de domingo inspirador, um carregar de boas energias para uma nova semana!

Rosarinho

Sem comentários

Com tecnologia do Blogger.