"Conquista Lusitana"

    (detalhe da obra - Conquista Lusitana)

Existem pessoas que nos são muito queridas. E por aqui as miúdas têm um carinho especial por uma grande mulher. Uma mulher que continua a lutar pelo seu sonho, por aquilo em que acredita, apesar de todos os muros que se foram erguendo, apesar de todas as pedras que surgiram no seu caminho. Tem uma força dentro de si capaz de intimidar um tornado.

A arte corre-lhe nas veias, mas a vida corre noutras direções. Ela vai-se adaptando, verga mas não quebra. A paixão pela pintura grita alto no seu coração, mas outros gritos a desviam do seu caminho. Outras missões recrutam a sua energia, o seu empenho... mas no fim ela regressa à estrada que a levará à conquista do sonho.

Por onde passa deixa a sua marca. Por onde passa toca alguém. Dá-se o milagre da transformação. É o fado...

Ela está de novo no caminho... Dia 27 de novembro, data  que celebra o dia em que o Fado foi classificado como Património Cultural e Imaterial da Humanidade, Idília Silva vai apresentar a sua mais recente obra, numa exposição coletiva na Biblioteca Operária Oeirense, dedicada ao "Fado e Guitarradas".

A sua obra "Conquista Lusitana" surgiu das memórias da sua identidade.

A artista falou-nos um pouco deste seu trabalho:

"Esta pintura de técnica mista é uma homenagem ao Povo Português, a Portugal, ao facto de eu ser portuguesa e pertencer a um povo que é criativo nas adversidade, cuja identidade e história são marcantes. Um povo cheio de coragem, força, determinação. Um povo que sente o seu fado, que é solidário, generoso, alegre e com uma imensa vontade de viver."

Idília Silva foi beber inspiração à nossa bandeira, às cores, à joalharia e a duas grande figuras do Fado.

O Armazém não vai perder este momento!

Rosarinho

Sem comentários

Com tecnologia do Blogger.