Férias na ilha do sol


Enquanto aguardo pelo voo para Ponta Delgada, aproveito para vos escrever. Pelo aeroporto de Santa Maria está tudo muito tranquilo. Acho que somos 8 pessoas à espera do check-in, mas a simpática colaboradora da Sata já me informou que, daqui a pouco, a coisa fica mais animada. Por mim está ótimo... Já me habituei a esta paz. Apaixonei-me por Santa Maria, a ilha que se ergueu do fundo do mar, porque a mãe natureza assim o desejou, há alguns milhões de anos. Esta é a minha primeira vez nos Açores e por isso tinha de começar a visita pela primeira ilha a ser habitada. Cobiçada e pilhada em tempos por corsários ingleses, por piratas franceses e argelinos, hoje é a ilha que "rouba" os corações dos turistas que por aqui passam. É impossível não ser conquistada pela poesia bucólica das casas brancas, das vinhas que descem até ao mar, do cantar harmonioso dos pássaros e das tonalidades do oceano, que se misturam com o verde de perder de vista. De trilho em trilho, de miradouro em miradouro, mas com muita calma, sem pressa, surpreendi-me com esta ilha e com a simpatia, sincera, dos seus habitantes. Vila do Porto acolheu-me durante estes dias e este foi o meu ponto de partida para uma viagem em torno de uma ilha vulcânica que, apesar de pequena (16,8 km de comprimento e 9,5 km de largura máxima), tem muitos encantos: Praia Formosa, Baía de São Lourenço, Pico Alto, Baía dos Anjos, Baía da Maia... Daqui a pouco vou embarcar para outras paragens. Deixo a ilha do sol para trás e sei que vou morrer de amores, novamente.

Rosarinho

O nosso companheiro de viagem
Canhões preparados - Forte de São Brás

À procura de Corsários - Forte de São Brás

Convento de São Francisco

Pedreira do Campo

Pedreira do Campo

Trilhos

Trilhos

Prainha


Prainha

O descanso junto à piscina

Trilho - Entre a Serra e o mar - Santa Bárbara

Trilho - Entre a Serra e o Mar - Santa Bárbara

Trilho - Entre a Serra e o Mar - Santa Bárbara

O ponto mais alto da ilha

Baía de São Lourenço

Sem comentários

Com tecnologia do Blogger.