À descoberta do Castelo de Elvas


O fim de semana prolongado levou-me a Elvas, Cidade Quartel. Graças  às suas fortificações abaluartadas, ás sua muralhas e ao seu bonito centro histórico tornou-se, em 2012, Património Mundial da Humanidade.

Mal chego à cidade largo as malas no hotel e corro para o centro à procura de um restaurante. Quando a fome aperta, esqueço os castelos, os fortes, as igrejas... E só penso num belo prato típico da cidade. Mas os nossos vizinhos espanhóis já tinham "invadido" todos os restaurantes do centro. A cidade resistiu a vários cercos em tempos idos, mas hoje os tempos são outros e os interesses também. Os vizinhos sabem onde encontrar gastronomia de qualidade e são muito bem-vindos. Elvas sabe receber.

A solução foi sair das muralhas e lançar-me à descoberta de umas boas Migas e de uma "pecaminosa" Sericaia, num restaurante junto à estrada principal. Já com o estômago repleto de felicidade regresso ao centro e sonho com o Castelo. Está na hora de me entregar à descoberta da história e estórias que as pedras escondem no sussurro do vento. 

O Castelo de Elvas, 1º imóvel classificado como Monumento Nacional, em 1906, ergue-se num monte olhando a modernidade dos nossos dias, não esquecendo a grandiosidade e o orgulho de feitos passados. Testemunhou acontecimentos importantes da história de Portugal. Desde tratados de paz a casamentos, passando por cercos, este edifício chegou a ser a fortaleza mais importante do nosso país.

Passear pelo castelo é viajar no tempo, é sentir cada vitória, cada momento que fez história. É imaginar as batalhas, as vivências, os costumes de séculos que já lá vão. É fechar os olhos e deixar a imaginação levar-nos mais longe, levar-nos às nossas origens. É sorrir e respirar uma cultura que é orgulhosamente nossa!

Percebem porque gosto tanto de Castelos? Porque pedra sobre pedra se conta a história de um país. E o Castelo de Elvas tem muito para contar. É só ir até lá, caminhar junto às muralhas e ouvir com atenção. A cada passo que damos, a cada olhar mais atento, ele revela-se.

Rosarinho







Sem comentários

Com tecnologia do Blogger.