Profissão: Protetora de Animais


O prometido é devido! Eu disse que esta semana saía a reportagem sobre a minha querida amiga Sandryna, que em Taubaté (SP, Brasil) faz um trabalho excelente em prol do bem estar animal. Ela é apaixonada por cães e gatos e a sua chácara tornou-se um refúgio e um paraíso para os "peludos" que ela vai encontrando, abandonados, nas ruas da cidade. Alguns acabam por ficar e tornam-se membros da família, outros encontram um lar que os acolhe. Mas uma coisa é certa todos eles têm um final feliz! 

Foi durante as minhas férias no Brasil que falei com a Sandryna sobre seu projeto de vida e percebi o quanto este trabalho é importante para ela. Não baixa os braços perante a situação mais desesperante, não desiste mesmo quando lhe dizem que a vida do seu protegido está por um fio... A sua missão só está cumprida quando o olhar de gratidão é superior ao do sofrimento!

Foi durante uma viagem de seis horas que surgiram estas perguntas e as emotivas respostas:


Em que momento foi claro para ti que estava no teu caminho seres protetora de animais?
Desde criança eu já me pegava cuidando dos animais que minha família adotava. Nunca comprámos animais, eles eram sempre abandonados ou simplesmente “apareciam” em casa. Mas quando me mudei para o atual endereço, percebi que lá era um local de muitos abandonos e descartes  de animais. Eram cadelas grávidas, cadelas com suas ninhadas, animais mortos, atropelados, doentes... Então eu procurava  encaminhá-los para o CCZ (Centro de Controle de Zoonoses de Taubaté) ou associações de proteção animal da cidade. Foi onde acabei conhecendo outras pessoas com a mesma indignação pelo descaso com estes seres que são mal tratados diariamente e não têm seus direitos reconhecidos.

Há quantos anos desenvolves este trabalho?
Oficialmente desde 2006 quando fiz parte da criação de uma ONG que, infelizmente, não chegou a sair do papel. Mas desde 2014 estou na diretoria da Associação VIDA TAUBATÉ (Voluntários Integrados em Defesa dos Animais) que tem como objetivo educar e conscientizar a população com relação ao bem-estar animal.


Qual o primeiro animal que salvaste?
Foram tantos os resgatados... mas  me lembro de um em especial, o Smeegle .

E em que circunstâncias foi?
Encontrado em meio ao lixo; na estrada onde moramos. Todo sujo, magro, desnutrido, com doença na pele, sarna negra etc. Tinha apenas alguns dias de vida e aguentou firme todo o tratamento que precisou passar para que se recuperasse dos maus tratos e descaso que sofreu. Está connosco até hoje e isto já tem 10 anos!!!!



Fazes este trabalho em parceira com alguma organização?
A Associação na qual trabalho não resgata animais de ruas. Este trabalho de abrigar um animal necessitado ou doente é responsabilidade minha. Somos contra abrigos pois estes locais acabam virando depósito de animais e acabam por não resolver o problema do abandono. O que resolveria seria a conscientização da população com relação à castração de machos e fêmeas e da responsabilidade destes com seus animais.

Quantos cachorros e quantos gatos albergas na chácara?
Hoje temos 13 cães e 23 gatos. Alguns destes estão para adoção, mas a maioria já está connosco há muito tempo, já fazem parte da nossa família e continuarão connosco até os nossos últimos dias.






Qual a história que ao longo destes anos mais te marcou?
Foram muitos os casos de abandono, muitas denúncias de maus-tratos atendidas mas tive uma experiência muito chocante este ano de uma gata que estava tendo seus bebés dentro de um carro abandonado em horário de saída de alunos de uma escola. Estas crianças começaram a apedrejar a gatinha que acabou abandonando seus filhotes e tivemos que resgatá-los e procurar uma mãezinha gata de leite para eles. Somente dois dias depois conseguimos unir novamente mãe e filhotes que foram juntos para um lar temporário. A gata mãe foi adotada e 2 de seus bebés também. Depois de um início triste e doloroso, o final acabou sendo feliz. Esta história acabou por nos mostrar que devemos, o quanto antes, ensinar as crianças a respeitar e amar os animais.



Para ti quais as medidas que deveriam de ser tomadas, para que o número de animais de rua diminuísse?
Recolher somente os animais das ruas, não resolveria este problema. Depois destes anos trabalhando nesta causa, acredito que seriam necessárias ações conjuntas para minimizar o sofrimento destes animais e consequentemente o número destes abandonos.  Uma delas seria a castração de animais machos e fêmeas para que se evitassem crias indesejadas e o abandono nas ruas. Juntamente com campanhas de educação e conscientização sobre bem-estar animal, onde os tutores seriam informados de suas responsabilidades sobre estes animais, sobre cuidados básicos e as necessidades de cada animal e a aplicação da lei de Crimes Ambientais nº 9.605/98, que diz "praticar o ato de abuso, maus-tratos, ferir ou mutilar animais silvestres, domésticos, domesticados, nativos ou exóticos, implica numa pena de detenção, de três meses a um ano, e multa". Se a pena realmente fosse aplicada, muitos teriam mais consciência sobre ferir ou abandonar seus animais. No Brasil, todos os animais são tutelados pelo Estado.

Dos casos que te têm passado pelas mãos a percentagem de fins felizes é elevada?
Sim!!! Acredito que existam pessoas boas, que amem e respeitem os animais na mesma proporção daqueles que não os veem como seres vivos... eles sentem fome, dor, frio, medo... Não temos lares para todos aqueles que estão nas ruas, infelizmente. Mas na medida em que eles aparecem na vida de um protetor, fazemos o possível e às vezes, o impossível para ajudá-los. Existem muitas pessoas que adotam um animal já idoso ou portador de alguma necessidade especial pelo simples prazer de ajudá-los.


Sabendo que não podes ficar com todos os animais que "te batem à porta" como fazes para encontrar um lar para eles?
Temos nossos eventos de adoção que acontecem todos os sábados e domingos na Praça Santa Terezinha, em Taubaté, onde os protetores voluntários, como eu, levam seus animais recolhidos para adoção responsável. O adotante que se interessar por um animal terá que apresentar cópias de seus documentos, assinar um termo de adoção, onde se responsabiliza e se compromete a zelar e cuidar deste animal, e se este ainda não for castrado, terá de pagar a cirurgia de castração em uma das clínicas veterinárias parceiras da Associação Vida Taubaté.



Um cachorro é.... 
Um ser sensível, capaz de te amar mais do que a ele mesmo. É um ser que, apesar de ser mal tratado, abana o rabo para seu tutor quando ele chega em casa....


Um gato é... 
Um ser incompreendido por muitos mas que é capaz de amar, de ser companheiro e fiel ao seu tutor. É sensível, carinhoso e inteligente.  Os gatos são apaixonantes!!!!"




E a entrevista termina com esta afirmação da Sandryna: Adotar é tudo de bom!!!!! Foi uma honra, para mim testemunhar este trabalho tão de perto!

Rosarinho






Sem comentários

Com tecnologia do Blogger.