Inês Teixeira Lopes: Jovem promessa do Jazz e da Bossa Nova


Quem passou pelo Faz Música Lisboa 2015, no passado dia 20, mais concretamente pelo palco Música do Brasil, na Ribeira das Naus, com toda a certeza deixou-se encantar pela sua bela voz. Chama-se Inês Teixeira Lopes (um nome a fixar), tem 20 anos, marcou a primeira atuação neste palco e (surpresa!) o Armazém de Ideias Ilimitada fez uma pequena entrevista a esta jovem promessa da música em Portugal. Da escola do Hot Clube de Portugal à 5ª edição do Faz Música Lisboa, venham daí conhecer um pouco melhor o percurso, ainda pequeno é certo, mas, quanto a nós, muito promissor de Inês Teixeira Lopes.


 Iniciaste os estudos na área musical muito novinha, até que entraste para escola do Hot Clube de Portugal. Jazz e Bossa Nova. Quando e como é que sentiste que este era o caminho a seguir?

Quando terminei o ensino básico do conservatório, senti a necessidade de uma nova experiência, algo que me abrisse horizontes totalmente diferentes daqueles que tinha tido até então. E, com a ajuda dos meus pais, descobrimos a Escola de Jazz de Luiz Villas-Boas, do Hot Clube de Portugal. No primeiro dia de aulas nesta nova escola, soube imediatamente que era ali que devia de estar.
  

– Quem são as tuas referências/influências musicais?

Para começar, ainda tenho muito para descobrir, que há-de influenciar-me. Aquilo que sei é só um pequeno grão de areia, porém, as minhas maiores influências (e das mais antigas) são, sem dúvida, Ella Fitzgerald e Chet Baker (no Jazz) e Tom Jobim e Chico Buarque (na Bossa Nova). É óbvio que tudo o que ouço me influencia, positiva ou negativamente, mas estas foram, claramente, as minhas primeiras influências.

– Quais são as maiores dificuldades que encontras para seguir uma carreira na música, em Portugal, e como vês este tipo iniciativas?

A maior dificuldade, hoje em dia, não só numa carreira musical como em todas as demais, é sem dúvida garantir um meio de subsistência, um emprego, algo que nos transmita estabilidade. Todas as iniciativas que visam a promoção dos artistas são boas para qualquer carreira, principalmente para alguém que, como eu, está agora a iniciar uma carreira artística.

– Agora, um pouco de "futurologia"... O que esperas desta tua participação no Faz Música Lisboa?

Dar a conhecer um pouco do meu trabalho com uma das minhas formações preferidas (voz, contrabaixo e guitarra), proporcionar um momento de prazer, um sorriso a quem me ouve e, quem sabe, arranjar contatos para futuros concertos.


Inês, o Armazém de Ideias Ilimitada deseja-te a maior das sortes na tua carreira!


Susana Figueira

Sem comentários

Com tecnologia do Blogger.