7 mil milhões de outros



Visitaram a vídeo-exposição de Yann Arthus-Bertrand, no Museu da Eletricidade? O que sentiram? Foi um turbilhão de emoções, não foi? Ouvir todos aqueles relatos, histórias de vidas... vidas por esse mundo fora.

Senti-me tocada pelos testemunhos, pelas expressões nos olhares, pelos sorrisos e pelas lágrimas. Emocionei-me e senti como sou pequena perante a grandiosidade poética das palavras ditas de coração aberto. 

Somos tão abençoados por viver num planeta maravilhoso... Porque será que o queremos destruir? Porque será que o egoísmo consegue liderar as nossas ações? Porque será que olhamos tanto para o nosso umbigo? 

Ouvi uma senhora dizer "Sou feliz porque tenho água"... E nós? Somos felizes porque adquirimos o último topo de gama.. contra mim falo. Grande lição! Eu sei que vivemos num mundo com muitas desigualdades e fomos nós que o construirmos.  Como começar de novo? Como mudar o percurso? A mudança começa em nós.

Não gravei o meu testemunho no estúdio móvel mas vou deixá-lo, aqui. Quero fazer parte deste projeto, dando voz "a um desejo de vivermos em harmonia". Por isso respondo a uma das 45 perguntas que foram colocadas pelos repórteres da GoodPlanet aos participantes:

"Sente-se livre? Da sua vida do dia a dia, não conseguiria passar sem o quê?"

Gostava de ter mais liberdade para acordar a máquina da mudança interna! Às vezes sinto-me presa a valores, a fios invisíveis que me orientam para o que está "correto"... Mas afinal o que é que está correto?   
No meu dia a dia não consigo passar sem um sorriso! Isso seria impensável! 






Sem comentários

Com tecnologia do Blogger.