Cada porta uma história


No primeiro dia de inverno recordo uma porta da terra do verão, onde os dias são sempre azuis e o sol aquece-me por dentro e por fora. Saudades de caminhar pelas ruelas sem olhar no relógio, sem a preocupação do tempo... Apenas caminhar e descobrir a beleza das coisas simples. De chinelos nos pés e liberdade na alma, na terra do verão sou feliz como as ondas que acariciam o areal.
Eu sou do inverno. E gosto do frio no rosto pela manhã e da chuva que bate poeticamente na janela da sala, enquanto me enrosco numa manta quentinha. Mas na terra do verão a felicidade tem muitas cores e escreve-se na sombra fresca junto à entrada de uma porta vibrante. 

No primeiro dia de inverno recordo esta porta. Passei por ela com um sorriso no rosto, num dia de verão onde fui muito feliz.

Sem comentários

Com tecnologia do Blogger.