Um Pouco de Tudo, por Aldy Coelho



Com o Mundial de Futebol à porta, a nossa querida jornalista Aldy Coelho, atualmente a residir em Curitiba, promete deixar-nos a par das movimentações deste grande espetáculo desportivo, que irá mobilizar a nossa atenção, a partir de quinta feira, dia 12 de junho. Semanalmente, a nossa correspondente no Brasil, vai registar aqui as sua impressões, opiniões e visões de um país sob o olhar atento de um mundo inteiro!


O espetáculo vai começar e a bola vai rolar!


Estamos a poucos dias do início da Copa do Mundo no Brasil. Os jogos testes das arenas já aconteceram e não registraram grandes problemas. Ainda assim, posso afirmar que há uma insegurança geral. Não se sabe como as cidades suportarão os contingentes de turistas e trabalhadores neste período, se haverá caos no trânsito das grandes cidades, se haverá problemas técnicos em rodoviárias e aeroportos e, ainda, as manifestações e aumento na violência. 

O governo brasileiro, é claro, está atento e preparado, e a mídia, ao contrário dos últimos protestos, não dará tanta evidência como anteriormente. Em minha análise, mesmo sem conseguir prever muita coisa, eu imagino que o Brasil surpreenderá, como sempre. E que vai dar um show tanto na abertura, quanto em sua estreia nos campos, que acontecerá na Arena Corinthians. E o time brasileiro, se jogar bem, vai alavancar ainda mais a autoestima da população.  Por isso, o time já leva nas costas uma grande responsabilidade, tanto de ser o anfitrião quanto por ser o time com maior número de títulos, estando em busca de mais uma estrela no uniforme.

Aparentemente, tudo está correndo bem. Vendo pelo ponto de vista de uma cidade sede exemplar como Curitiba, a única reclamação que posso verificar é uma mudança na rotina dos moradores em torno da Arena da Baixada, mudança no trânsito de carros e pedestres num período de 4 horas antes dos jogos e duas horas depois. Isso por apenas 4 dias, pois não está programado nenhum outro jogo das fases finais. 

Por aqui, o único grande time que disputa uma partida é o da Espanha, os demais, sem grande expressão (pelo que percebo, pois não sou especialista em futebol), entre eles estão Rússia, Argélia, Austrália, Irã, Nigéria, Honduras e Equador (espero não me enganar com a afirmação). 

Um jornalista do Jornal Metro UK, de Londres, visitou algumas cidades sede da Copa, e da minha cidade, fez algumas observações bem verdadeiras. Para ele, Curitiba, ou como o próprio ensina a pronúncia para os ingleses, CU-RIT-CHI-BA, é uma cidade que leva a sério as palavras descritas da bandeira brasileira, ordem e progresso, com a implantação de ciclovias, ruas exclusivas para tráfego de pedestres e um dos índices mais baixos de poluição atmosférica urbana do país. O jornalista também descreve o clima da cidade como ‘cool’, frio para nós e ‘legal ou agradável’ para eles, mesmo assim, recomenda aos turistas a trazer casacos. E também indica outras atrações na cidade além dos jogos, como o Museu Oscar Niemeyer, do mundialmente famoso arquiteto brasileiro.

Como disse, só posso dar um parecer, por enquanto, das movimentações e expectativa antes dos jogos na minha cidade, mas, ainda temos mais onze cidades-sedes e 32 times que estão nesse período chegando ao Brasil. Como ainda tem muita coisa para acontecer, vou escrever semanalmente para atualizá-los do que está acontecendo, pela ótica de uma brasileira que, claro, vai torcer pelo time da pátria, mas torcer também, e principalmente, para um grande espetáculo no esporte mundial nos campos e fora dele.

Aldy Coelho
aldycoelho@gmail.com
(esta crónica é escrita em português do Brasil) 

1 comentário

DB disse...

Que excelente notícia:)

Com tecnologia do Blogger.