Pó de Arroz com Alma


O vizinho do lado

Há o vizinho bisbilhoteiro e o vizinho que nunca vejo. Há o vizinho que cumprimento com um beijo. Há o vizinho que me entrega o pijama. Há histórias que nunca conto nem lamento. Há o marido que fantasia com a vizinha de cima e a vizinha que grita com a mãe nas escadas. Há vidas em sobressalto no prédio que habito.

O elevador avariado e o vizinho dentro, trancado! Ela, pronta, o batom retocava.

Na cozinha, a comida fumegava e o cheirinho adocicado a baunilha misturava-se com o aroma das velas que perfumavam a casa.

21h. A campainha tocou. Abriu a porta e ele entrou. Sorri, com aquele sorriso tão dele que ela bem conhecia e lhe escondia o olhar cansado que tinha trazido de África.

No prédio ao lado o vizinho desesperava, enquanto aguardava que o libertassem do quadrado escuro, no qual há horas sem fim, se encontrava. Roupa amarrotada, envolvido em profundos pensamentos, raciocinava um forma de justificar a perda do voo, à equipa que em Maputo o esperava.

Havia vidas que dependiam da sua chegada! A substituição do médico que tinha, há dias, regressado de África não se compadecia com demoras e atrasos injustificados! Sabia que a sua presença naquela aldeola perdida no mato, faria a diferença, na fila de crianças e mulheres que pacientemente esperavam a sua vez para tomarem o comprimido milagroso.

Ao jantar, o casal serenamente conversava. Ele contava-lhe a vida diferente que vivera naquele africano recanto longínquo, onde a vida e histórias que partilhavam os olhares inquietos e perturbadores que durante todo o dia faziam fila em frente ao abrigo rudimentar que lhe servia de “posto médico”.

Regressara diferente, com vincos no olhar. A alma cheia e o coração a transbordar de gratidão tornavam única a vivência.

Vidas diferentes. Outros continentes.

Vidas entrelaçadas por experiências semelhantes, em lugares tão pouco distantes.

Vidas unidas por desejos, anseios e aspirações. Separadas por paredes nuas de memórias esbatidas. Vidas minhas. Vidas tuas. Vidas de gentes com pensamentos tão diferentes. Vidas com almas ardentes desejosas de salvar o mundo. Vidas cruzadas. Em linhas paralelas!

Não conheço o meu vizinho do lado mas com ele partilho o mesmo sentido de vida!

Amélie
love you


Sem comentários

Com tecnologia do Blogger.