"Histórias Infanto Juvenis da Tradição Africana" por Carlos Duarte



Lenda do “Peito Azul” ou pássaro marimbondeiro

Em África é comum encontrar-se, perto de um ninho de “Peito Azul”, um ninho de marimbondos. Essa frequente vizinhança é explicada por uma lenda ou fábula, em quase tudo, idêntica  à do pássaro abelheiro:

O filho do marimbondo adoece, e ele, preocupado, leva-o ao Tchimbanda que, entre outras coisas, lhe pede uma pena da asa do Peito Azul, para poder cozinhar a poção medicinal que lhe dará a cura ao filho. O marimbondo apressa-se a ir ao ninho do pássaro que, tão logo toma conhecimento da situação, não hesita em arrancar uma pena da asa para poder salvar o filho doente, do seu amigo.

Tempos depois, é o filho do Peito Azul que adoece, e a quem o feiticeiro pede, para a poção curativa, uma asa de marimbondo. O pássaro voa até ao ninho de marimbondo, onde aflito, conta a história, suplica, lembra o caso anterior e promete tudo, mas sem resultado. A negativa do marimbondo é firme e definitiva, e o passarinho morre.

Mas aí, o marimbondo, vendo a dor e o desespero do pássaro, e lembrando-se que, graças à atitude solidária  dele, não passara por tão triste situação, arrepende-se. Vai então, procurar o Peito Azul, a quem pede perdão pelo egoísmo demonstrado, e a quem também, em sinal de arrependimento a como atitude de remissão, promete daquele dia em diante, guardar o ninho e os filhos do Peito Azul, contra qualquer estranho que dele se queira aproximar.

Por isso que, até hoje, qualquer pessoa ou animal que, mesmo distraidamente ouse aproximar-se do ninho de um Peito Azul, em poucos segundos se vê atacado, e perseguido por muito tempo, de forma atroz, por um beligerante enxame de marimbondos. Até outros pássaros, acham prudente colocar os seus ninhos em árvores bem afastadas dos ninhos de Peito Azul, para não irritarem os marimbondos; contudo, se perto de um ninho de marimbondos, não houver nenhum ninho de Peito Azul, qualquer pássaro faz tranquilamente o seu, sem nada temer. 

Carlos Duarte
(esta crónica é escrita em português do Brasil) 

1 comentário

Silvana disse...

É uma bela lição de arrependimento, perdão, solidariedade, cumplicidade entre tantos valores necessários ao bom relacionamento e cidadania. Nos reporta às importantes fábulas que nos fazem refletir sobre a vida em sociedade. Parabéns ao autor, que com muita propriedade , abordou tal reflexão e ao bloguer por publica-la , constituindo-se em verdadeiro instrumento de divulgação da literatura a serviço da comunidade. Obrigada. Silvana

Com tecnologia do Blogger.