Relatório Castelo de Vide e Marvão - Parte II


Sábado amanheceu enublado e ainda bem! Esperava-nos um passeio pelo Castelo de Marvão, que se fez com o sol timidamente escondido nas nuvens. Pequeno-almoço simpático e reforçado porque se adivinhava uma manhã a caminhar. 09h30 e já o nosso querido amigo nos esperava para o início da passeata. Há lá coisa melhor? A caminho de Marvão foram algumas as paragens obrigatórias, para se observar as vistas e sentir os sons da natureza. Lá em cima no topo do castelo foi a apoteose. Não fosse eu uma amante dos locais com muita história.

Longa foi a caminhada pelas muralhas, salpicadas com a cor branca do casario, entre conversas sobre o local e suas tradições. Fizemos paragens em pontos estratégicos para aquelas fotos que ficam para a eternidade; pelo caminho fomos encontrando conhecidos e amigos do nosso guia, que sorriam abertamente para estes turistas lisboetas e faziam-nos sentir em casa. 

Esta emblemática vila conquista-nos o coração. Nas ruas cheias de charme, predomina uma arquitetura tradicional, com vãos de portas e janelas de século XV e XVI, que deliciam os nossos olhos. Antes de entrar no Castelo somos surpreendidos por um jardim repleto de cores intensas que nos tingem a alma... Este post está muito poético, mas não há volta a dar, porque Marvão é poesia, é a terra da Castanha, do Festival Islâmico e do turismo  de natureza.


O sol começou a descobrir, perto da hora de almoço. A exploração do castelo estava finalizada e celebrou-se o acontecimento com um vinho branco, fresco, antes de seguirmos para Portagem, onde nos esperava um grande repasto, altamente publicitado pelo amigo Rúben, ao longo de toda a manhã. E devo dizer que não foi publicidade enganosa! Desde a Sopa de Tomate, ao vinho verde, passando pelas migas de espargos e terminando na ginjinha, o almoço, tipicamente alentejano, no Restaurante JJ Videira, foi uma verdadeira experiência gastronómica.

E depois era urgente queimar calorias, por isso seguiu-se um passeio pela praia fluvial do Rio Sever, com direito a molhar os pés na água fresquinha, porque o sol já queimava. Foi mais um momento de agradável cavaqueira com a natureza como pano de fundo. Regressámos a Castelo de Vide, para um merecido descanso na piscina do nosso hotel. Uma piscina só para nós! Não sei por onde andavam os outros hóspedes mas agradecemos a privacidade!



E já com o pôr do sol no horizonte saímos para jantar na companhia, naturalmente, do nosso guia e da família. Refeição tranquila no centro de Castelo de Vide, que culminou com as minhas papilas gustativas aos pulos, tudo graças à Encharcada de Nozes (nada calórico!). 

Antes de dar por concluída a noite, mais uma ginjinha e mais uma conversa animada. O sono já começa a chegar e o cansaço a dominar as pernas. De volta ao hotel atirámo-nos para a cama com o despertador preparado para as 08h00 da manhã seguinte.


Cenas do próximo e último capítulo...


  Depois explico esta foto, com o nosso guia e querido amigo Rúben... que por sinal é Benfiquista... ninguém diria!

Sem comentários

Com tecnologia do Blogger.