"Enquanto isso, do outro lado do Atlântico..."



Prometi ou não prometi sangue novo neste blogue?
Pois aqui têm: 
"Enquanto isso, do outro lado do Atlântico..."
, espaço dedicado às escritas de Silvio Kanda, um querido amigo brasileiro, que me encanta com a sua forma de escrever. Estou muito feliz por ele ter aceite este desafio!

Vamos a uma breve apresentação:
Silvio vive em Taubaté (Estado de São Paulo) e é formado em Engenharias Mecânicas e Ciências Contábeis (Contabilidade). Apesar de escrever há alguns anos, tem na literatura apenas um "hobby", dedicando-se aos contos, romances e ao teatro.  É ator amador de teatro desde 2000 e em 2004 foi convidado pelo diretor Ebran Junior para trabalhar no "Comuniart", grupo teatral do Departamento de Comunicação Social da Universidade de Taubaté. Em 2009 dirigiu a sua primeira peça "Não Matarás", de sua autoria. Silvio também participou no projeto "Era uma vez... Um Conto Numa Gaveta!"(promovido pelo Armazém de Ideias Ilimitada), que originou o livro "Contos de Agora e de Outrora".

"Enquanto isso, do outro lado do Atlântico...",  será o espaço onde Silvio colocará em palavras o que ele pensa e o que lhe vai na alma. Revelará, também, o seu olhar perspicaz e crítico sobre os mais variados temas.  Tudo isto e muito mais terá lugar de destaque, aqui, todos os meses.

E chega de conversa!
Queridos leitores deixo-vos a primeira crónica de Silvio Kanda. Espero que gostem:

A outra face da moeda

A democracia é um legado inestimável para a humanidade. Herança bendita dos sábios gregos, o governo do povo para o povo, ainda que com seus desvios de conduta, é a melhor maneira de vivermos em sociedade. Mas sempre há a outra face da moeda: os políticos. Como é difícil separarmos o joio do trigo quando falamos de nossos representantes. Como é difícil fazermos a escolha certa. Pelo que venho notando nesses últimos tempos, a maioria dos que se apresentam como candidatos a nossos representantes antes de pensarem no povo (seu objetivo maior e razão de sua existência), estão mais preocupados com seus próprios interesses, sejam financeiros, políticos, ou até mesmo pela própria busca e manutenção do poder. Lobos em pele de cordeiro, a grande maioria utiliza de todos os meios para nos enganarem e conseguirem nossa confiança, chegando a contratar consultorias especializadas na criação de sua imagem, fazendo nascer um verdadeiro personagem. Dirigido pelo profissional de marketing, o político muda sua forma de falar, vestir, postar-se, tornando-se o mais integro e confiável dos cidadãos, fazendo-nos acreditar ser a pessoa mais indicada a ser nosso representante. É a profissionalização do candidato. Não basta apenas ter boas intenções é necessário ser profissional. E ter dinheiro para isso, para enganar os inocentes e comprar os corruptíveis. Triste isso. Mas, mais triste ainda é que só depois da eleição percebemos nosso erro, tarde de mais, nos restando apenas a decepção. A ideia romântica do político de cara limpa, falando o que realmente pensa e cumprindo o que promete, ficou no passado. Ai eu volto ao início: Mas como separarmos o joio do trigo? Difícil. Por isso nós, como povo representado, também devemos mudar nossa atitude perante esses profissionais. Prestemos mais atenção e até mesmo sejamos mais diligentes e investigativos para tentarmos diferenciar as pessoas de seus personagens. Vejamos se seu passado condiz com seu presente, vejamos com quem compactuou, com quem transigiu, o que já fez, se o que ele promete não é impossível, ou bom de mais para ser verdade. Mas o mais importante, escolha sem pensar em interesses pessoais, mas no bem de toda a sociedade, de consciência limpa e, o principal, com seu coração. Quem sabe um dia a gente aprende a separar o joio do trigo e distinguir quem é lobo e quem é cordeiro.

Silvio Kanda

(esta crónica é escrita em português do Brasil)
Com tecnologia do Blogger.