Lançamento do Livro "A Apologia do Silêncio"


Ontem foi o tão aguardado dia! O dia do lançamento do mais recente livro de poesia de Ana Brilha, "A Apologia do Silêncio". O relógio marcava 18h30 e lá estava eu numa sala apinhada de gente, onde a boa energia e os sorrisos espontâneos tornavam o ambiente mágico. 

Foi um momento dividido por pequenos grandes momentos que se revelaram num todo poético. Desde a participação de Lilia Tavares e de Carlos Campos (poeta), que através das suas vozes deram vida a poemas como "Tinta Preta" e "A Caixa Castanha", até ás sonoridades de "Danúbio Azul" e "Pedra Filosofal", tão delicadamente tocadas por Leonor Gonçalves, que arrancaram do publico uma ovação de pé.

Quando as pessoas certas se cruzam e unem sinergias, o resultado é admirável. As palavras da Ana, embelezadas pela imagem de capa, da autoria da Unidade Artística da Fundação AFID Diferença só poderia culminar num evento como o de ontem. Parabéns à AFID pela forma como nos recebe em sua casa! 

Há tardes assim... poéticas, inclusivas, emocionantes e inesquecíveis!

"A Caixa Castanha"

Hoje de manhã, ao sair de casa,
Deparei-me com uma caixa
Junto ao degrau da entrada.
De chave ainda na mão,
Suspensa de estupefacção,
Fitei a caixa,
Uma caixa qualquer,
Que alguém deixara
No degrau da minha entrada.

Olhei em volta, em busca de suspeitos,
A chave expectante na mão direita,
Mas quer de um lado
Quer do outro
Nada bulia na rua deserta.

Olhei novamente,
Ainda era uma caixa,
Banal e castanha como são as caixas.
Desci o degrau,
Olhei mais de perto,
Mudei a chave suspensa de mão.
E então (e só então) abri a caixa.

Lá dentro,
Silencioso e quieto,
Deixaras-me o teu coração.

Ana Brilha



"Mudas"


Drª Lutegarda - AFID (responsável pela apresentação da Ana e do seu livro)

Lilia Tavares

Carlos Campos

Foto de Helena Matos




Sem comentários

Com tecnologia do Blogger.