Recordar Santiago


Existe uma letra de canção que diz "recordar é viver" e por isso...

Recordo-me de ler “O Diário de um Mago, de Paulo Coelho, há uns bons anos e ficar fascinada com a longa jornada de França atá á cidade Santiago de Compostela, centro de peregrinação cristã. Por isso sempre senti muita vontade em conhecer a cidade e especialmente a Catedral, local de culto ao apóstolo Santiago, padroeiro do reino de Espanha.

Há cerca de 7 anos visitei pela primeira vez a Catedral e fiquei absolutamente fascinada. Este ano voltei e depois de 7 anos volvidos e de muitas mais Catedrais visitadas o fascínio não foi tão grande. Mas ainda assim foi emocionante.


Rodeada por 4 praças, a catedral de estilo românico, enquadra-se na perfeição como se estivesse ali desde sempre, desde o início dos tempos. Vale a pena parar no meio da praça, e olhar, ou melhor ver! Ver cada pormenor da fachada do Obradoiro e observar os peregrinos que não param de chegar envolvidos num misto de fé e alegria pela visão divina da catedral.

Para a mim a visita começa na praça e no ambiente que se sente e se entranha. Depois, e à medida que se sobem os degraus da escadaria, a ansiedade de entrar surge naturalmente para redescobrir o interior desta Catedral construída entre 1075 e 1128.

Uma vez no interior percebe-se que existe uma espécie de ritual, que ninguém deve falhar: prestar homenagem ao túmulo de Santiago (uma urna de prata) e abraçar a imagem do apóstolo que se encontra no Altar-Mor. Visitar a catedral e não passar por estes dois momentos, não tem o mesmo significado.

Para além destes dois atrativos, existe ainda o Turíbolo, um incensário gigante que se desloca de uma ponta a outra do transepto. Atualmente a sua única função é purificar, mas não resisto a partilhar uma curiosidade: na idade medieval ajudava a disfarçar os cheiros menos agradáveis dos peregrinos que pernoitavam na Catedral.

Um outro aspeto impressionante da Cateral é o Pórtico da Glória, da autoria de Mestre Mateo. É considerada uma das maiores obras primas da europa. Descobrir, tranquilamente as capelas que cercam o deambulatório, também é muito enriquecedor.

O encanto do seu interior reveste-se de toda a história que se persente em cada peregrino que reza, em cada visitante que contempla, em cada curioso que apenas aprecia a arquitetura do espaço. Cada um terá a sua vivência e por isso esta é uma das Catedrais do mundo, que deve ser incluída nos roteiros dos viajantes.

A entrada é gratuita, o que é sempre uma boa notícia, porque assim podemos comprar um souvenir na loja, existente no interior da Catedral. Também são permitidas fotografias para captar aqueles momentos que mais tarde recordaremos com saudade.






                                              (texto que publiquei em http://www.trivago.pt/)

1 comentário

DB disse...

Também li o Diario de um Mago faz uns bons anos m...mas não visitei a Catedral ... até hoje. e gostei desta visita guiada. Beijinhosmorcea

Com tecnologia do Blogger.