“Quem é o homem do Sudário?”




Domingo à tarde chovia, mas chovia muito! Eu, em casa a pensar “ sabia tão bem ficar por aqui, a ver umas séries que tenho gravadas ou a pôr a leitura em dia”. Mas já tinha prometido a mim mesma que ia visitar a exposição “Quem é o homem do Sudário?”. Por isso lá ganhei coragem e saí a caminho de São João do Estoril.

Estaciono o carro e dou uma corrida para o interior da igreja para fugir às nuvens negras por cima de mim. Já abrigada do mau tempo descubro, ao cimo das escadas, a exposição que me arrancou de casa.

Valeu a pena! Valeu mesmo a pena! Fui simpaticamente recebida por um dos guias da exposição. Isto de ter uma visita guiada torna tudo muito mais interessante, porque não escapa nenhum pormenor.

Soube que esta é uma exposição itinerante que começou em 2006 no Instituto Pontifício Notre Dame de Jerusalém. Ainda bem que finalmente chegou à Igreja de São Pedro e São João do Estoril!

Fiquei a conhecer, melhor, a história por detrás da relíquia mais importante de entre as relíquias existentes no mundo. O Santo Sudário ou Sudário de Turim, como também é conhecido, é um lençol de linho tecido em padrão de espinha de peixe com 4,41m de comprimento por 1,13m de largura que, supostamente cobriu o corpo de Jesus Cristo na sua tumba. Estar frente a frente com uma réplica perfeita deste lençol… é indiscritível.

Num pequeno percurso, mas intenso, fui conhecendo a história do Sudário, a sua provável rota desde Jerusalém a Turim (percorrendo séculos de história), as várias investigações realizadas ao longo do tempo, réplicas de objetos que nos ajudam a compreender a coincidência entre o Sudário e a narrativa histórica da Paixão, mencionada nos Evangelhos.


E quase, quase no fim da exposição, mais um momento impressionante: um lenticular elaborado num laboratório holográfico, na Holanda, onde se consegue ter uma visão da imagem do sudário a três dimensões. É de cortar a respiração.

Ao longo da exposição fui-me inteirando das várias conclusões a que se foram chegando ao longo dos séculos. E fui-me, também, apercebendo que apesar de a maioria apontar para a possibilidade (que creio), todos querem acreditar, que o tecido pode revelar a imagem frontal e dorsal de Cristo, não existe nenhuma investigação que o comprove… até à data.

O original Sudário é mostrado publicamente de 25 em 25 anos na Catedral de Turim. A exposição mais recente foi em 2010… o que significa que a próxima será em 2035… Se não quiserem esperar tanto tempo, podem passar por esta exposição e, pelo menos, terão a oportunidade de estarem próximos de uma réplica perfeita.

Os dias de visita à exposição são às quartas feiras, das 15h00 às 18h00 e aos sábados e domingos das 16h00 às 18h00. Grátis!





Sem comentários

Com tecnologia do Blogger.