Os Autores por detrás dos Contos ;)


Prometemos que iríamos apresentar os 8 autores por detrás dos "Contos de Agora e de Outrora" e aqui estão os primeiros dois a merecerem destaque no nosso blog:

Silvio Medeiros Kanda
Perguntámos ao Silvio qual a sensação de ver os seus textos publicados pela primeira vez e fora do seu país.

Segundo o autor, 
a ficha ainda não caiu. No fundo, ele acha que o importante é poder mostrar o seu trabalho. E se ele realmente for interessante e bom, com certeza, um dia será universal. Acrescenta ainda, que é uma honra poder ter as suas singelas histórias lançadas no país de origem de nossa língua.

Silvio Medeiros Kanda é brasileiro, nascido na cidade de taubaté, no estado de São Paulo, a 10 de Maio de 1964. Formou-se em engenharia Mecânica, em 1986, e em Ciências Contábeis, em 1994. Foi vendedor técnico e trabalhou com assistência técnica na área de engenharia. Em 1990 ingressou na carreira pública, na secretaria da receita Federal do Brasil, onde permanece até hoje.
Apesar de escrever há alguns anos, tem na literatura apenas um “hobby”, dedicando-se aos contos, romances e, por último, ao teatro. Actor amador de teatro desde 2000, começou no grupo teatral “Camarim” da directora Duda Mattos. Em 2004 foi convidado pelo director Ebran Junior para trabalhar no “Comuniart”, grupo teatral do departamento de Comunicação Social da Universidade de Taubaté. Em 2009 dirigiu sua primeira peça, “Não Matarás”, de sua autoria.


Fica aqui um breve excerto de um dos seus contos, "O turno da madrugada":

Ninguém gostava de trabalhar naquele local, ainda mais de madrugada. Mas para Rosvaldo aquilo não era problema. Para ele era só mais um lugar para tomar conta. O único problema era tomar conta de gente morta
(...).

Isa Fonseca
À Isa, sendo ela artista plástica e também autora da ilustração da capa do livro de contos resolvemos colocar a seguinte questão:

A Isa é artista plástica e esta foi a sua primeira publicação. Qual a sensação de enfrentar uma folha de papel em branco, em vez de uma tela?
O desafio é idêntico...papel em branco, tela em branco e, a pouco e pouco vou construindo uma história. Uma feita com caneta, regra geral com tinta preta. Outra, feita com pincéis e tintas, muitas tintas e também muitos pincéis... Se gosto mais de uma ou de outra? Sem dúvida que gosto mais de pintar. Escrever, sempre escrevi, para mim, para rasgar porque depois de desabafar, não faz sentido as folhas amontoarem-se e sobretudo sinto que através de uma folha, as pessoas invadem muito mais depressa a minha essência... é perigoso...!!! Com os quadros é diferente, pinto uma história, quase sempre de mim para mim, para ver até onde posso ir, mas não sinto que a minha essência esteja exposta. Escrever este conto, foi mais um desafio que aceitei com muito gosto, mas não sou escritora, sou uma aceitadora de alguns desafios e vindo de quem veio, só podia aceitar, pois o projecto era muito engraçado e diferente.

Isa Fonseca nasceu em Santarém e passou grande parte da sua vida na suíça, onde efectuou os estudos e iniciou o gosto pela pintura. Estudou desenho e pintura na “Académie Artistique Maximilien de Meuron“ em Neuchâtel, durante 3 anos. Ainda na Suíça obtém o diploma de Literatura e Civilização Francesa na Universidade de Neuchâtel. Das 34 exposições em que já participou, destacam-se as várias mostras de trabalhos colectivas, aquando dos seus estudos na “Académie Artistique Maximilien de Meuron“ e a sua participação na X Bienal Internacional de Artes Plásticas de Vendas Novas.

Breve excerto do seu conto "Quem conta um conto acrescenta um ponto":

(...) E assim começou a correr o boato, de boca em boca, de aldeia em aldeia, que Maria das Graças, moçoila jeitosa, e de grandes olhos azuis, estava sem graça alguma, tendo até caído na garras do Mafarrico, de um dia para o outro (...)



1 comentário

Serralheria Santa Luzia disse...

Rô, agradeço as palavras gentis e torço pelo sucesso de todos. Parabéns pelo lançamento e que seja o primeiro passo de uma grande jornada.
Abraço, Silvio.

Com tecnologia do Blogger.