Cartas de Amor? Sim, ainda se escrevem!


Ana Brilha escreve cartas de amor... na verdade o termo correcto é "Haikai" . Este livro "inspirado na tradicional poesia japonesa com a sua temática e métrica muito específica, poderia talvez chamar-se Cartas de amor do antigo Japão".

"Cartas da Província de Akashi"
é um livro inspirado na poesia tradicional japonesa. Algo novo para a escritora, mas algo ancestral para o povo japonês que “desde sempre cultivou a arte como forma de comunicar, de coração a coração” e por isso “a sua correspondência” era “plena de sentimento e poesia, na qual o virar das estações assumia papel de destaque.”


Numa altura em que a internet era algo longinquamente desconhecido “a única alternativa à comunicação presencial era a palavra escrita”. Era uma época em que os pormenores eram estudados ao pormenor “colocava-se um cuidado extremo na escolha do papel e das fragrâncias e, sobretudo, na caligrafia que daria indícios da instrução e interesse do seu autor”.

Para Ana Brilha foi certamente uma experiência única, pois a poesia japonesa é “o enaltecimento do instante e dos sentidos como reflexo do sentir numa comunhão ímpar com a natureza.”

“Cartas da Província de Akashi” é tão simplesmente o diálogo que se estabelece entre Yoichi e Aiko.

Embora esta obra “muito fique a dever à actualidade, procura apenas esse reflexo do que outrora se escreveu e então se sentiu.”

Hoje já não se escrevem estas cartas de amor com este ritual, com esta intensidade, com a ansiedade da esperar a resposta para responder com mais fulgor e paixão. Mas podemos viver estes momentos cheios de romantismo através da escrita de Ana Brilha!


O livro encontra-se à venda no Sítio do Livro:


O Armazém de Ideias, Ilimitada já encomendou o seu e aguarda ansiosamente para ler a primeira carta de amor

Sem comentários

Com tecnologia do Blogger.