Era uma vez...



Era uma vez… assim começam todas as histórias da nossa infância. Histórias de encantar que nos transportam aos meandros da imaginação, aos tesouros por descobrir, aos sonhos por concretizar ali ao alcance da mão.

Quando a infância já se queda mais longe do que a memória dos dias nos deixa saborear, a capacidade de sonhar ainda vive, a capacidade de imaginar também, mas vamos zelosamente guardando numa gaveta esses sonhos, até que um dia, à procura de um comprovativo de não-sei-quê (desses que os adultos dão tanta importância), nos espreita a letra manuscrita desses textos que escondemos longe da vista, na gaveta onde arquivamos os sonhos temerosos de vir à luz.
Se acreditarmos que a letra poderá um dia ganhar vida, escrever-se-á uma história que poderá começar assim:

Era uma vez... Um Conto numa Gaveta!

Ana Brilha

1 comentário

Fatima disse...

Sugestivo o título!

Com tecnologia do Blogger.