"Tudo o que cai na rede é peixe". E...Network!

Hoje em dia há várias formas de fazermos passar uma mensagem, mas ter uma rede, estar em rede ou ser apanhado na rede, tornou-se numa nova “técnica de comunicação”, muito em conta por sinal, à qual damos o nome de Network.

Network. Que grande palavrão. No que me fui meter…Ora bem, trocando por miúdos e sob a forma mais banal, Network significa REDE (conjunto de computadores interligados, de modo a permitir aos utilizadores, partilhar os seus conteúdos). Como se está mesmo a ver, este conceito surgiu no âmbito da informática, mas foi com o tempo exportado para outras áreas, como a comercial e a comunicacional dando novos instrumentos à gestão de marcas.


A Internet também colaborou e nos tempos que correm estamos todos, “à distância de um click”. De repente o mundo pareceu-nos muito mais pequeno, de fácil acesso e a máxima “amigo do meu amigo, meu amigo é”, começou a fazer realmente sentido. Quem beneficiou com este progresso tecnológico? A Maria, o Thomas, o Kai, o Lee, o Salim e as MARCAS que acordaram para o fenómeno Globalização. É hoje o que todas pretendem; expansão e extensão do seu nome, produtos e/ou serviços. O que importa é alcançar uma notoriedade massiva, que se chegar à Lua, já em 2009 a bordo da nave da Virgin Galactic, melhor!

Mas, voltando à terra e “pragmatizando”, o que as Redes fizeram realmente pelas empresas, para além da criação de um novo meio de comunicação – a Internet – foi: duplicarem ao infinito as suas bases de dados, através de uma variante de Pesca Desportiva, cujo objectivo passa por atingir o maior número de pessoas por intermédio das que já foram “pescadas”. Vale tudo, para cumprir esta meta: oferecer uma caneta, um conjunto de malas, descontos, comida confeccionada em sua própria casa (Bimby) e tudo o que possa imaginar. Isto é claro em troca de uma rede de contactos. Se os perfis são pertinentes ou não, isso depois logo se vê, mas numa primeira instância: “tudo o que vem na rede é peixe”.

Há quem diga, que o poder é irrelevante o que interessa mesmo é conhecer as pessoas certas e estar inserido numa importante REDE SOCIAL, tudo o resto acontece por pura magia. Olha afinal Network é isto: é magia!!!

Alexandra da Silva

2 comentários

Anónimo disse...

Para mim nada é magia ou acaso...
Nada são coincidências ou "dejá vú"...

Tudo tem um porquê...
O porque temos que te ver escrever , deitar para um blog o que não são apenas obras das tuas mãos mas, as imensas ideias que te passam pela cabeça e, na maioria das vezes, te fazem sorrir!

Até que enfim, um blog com as tuas palavras... com o teu sorriso!

Angels

Rui Loureiro disse...

A velocidade da transformação social é uma função do querer individual.

Com tecnologia do Blogger.