Porque que é que o Egas é Laranja e o Becas Amarelo? E porque é que o Armazém tem as cores que tem?

Nada na vida é por acaso, nem mesmo as cores que elegemos e usamos. A cor tem uma linguagem própria que fala per si. Tem vida. Tem um poder de manipulação implícito que nos faz sentir "coisas" e tem grande influência no peso e no tamanho. No limite vejam este exemplo: "um empresário estadunidense, cujos empregados se queixavam de que tinham que carregar com caixas demasiado pesadas, decidiu mudar a cor escura das mesmas por branco. O resultado foi que as queixas pararam; os empregados sentiam que as caixas brancas eram muito mais leves". Impressionante!

Não que vos queiramos manipular, mas como Técnicas de Comunicação, sabemos a importância que as cores têm na hora da percepção. Assim, o preto de fundo escolhido para as paredes do Armazém, revela o desejo da vossa atenção sem dispersão. Afinal o preto que é sinal de elegância, dá-se ao respeito ao invés de se exibir de forma ostensiva. "A renúncia à cor dá lugar à objectividade e à funcionalidade..." e é assim que queremos o Armazém: arrumadinho e sem precisar de se fazer interessante com outras cores;"bastando-lhe a personalidade": viril, poderosa e séria.
Com o Cor-de-Laranja da fonte pretendemos quebrar esta rudeza e impecabilidade do preto, indicando que o Armazém apesar de certinho pode ser dinâmico e divertido. Senão reparem: "Egas, a personagem da Rua Sésamo" (que todos reconhecemos ser alegre e engraçado), "tem naturalmente uma cara de feltro alaranjada, ao contrário da amiúde chateada cara amarela de Becas". Além disso o Laranja é a cor da sociabilidade. É também a cor com mais aroma e sabor (frutas, especiarias, peixes, etc.): "esperamos sempre que as coisas cor-de-laranja saibam bem". É por isso que o Armazém vos serve requintadamente num prato preto coisas apetecíveis e saborosas. Prometendo para a sobremesa "o verdadeiro carácter de um sentimento", pois o Laranja "une os opostos vermelho e amarelo, e reforça o que lhes é comum."

O Branco também presente, reverte a favor da perfeição. Bem sabemos que esta não existe, mas a aproximação é o único caminho a seguir. Faz parte do rigor do Armazém e da zona onde "habita". Ele foi construído na honrada Avenida da Verdade, nº do bem, Cidade da Luz. A utilização da cor Branco, significa que queremos imprimir aos nossos textos: exactidão, limpeza, pureza e leveza, 'eza, 'eza, 'eza...

Posto isto, e já sem dúvidas de que as cores actuam sobre os sentimentos e a razão, acham que as cores do Armazém foram bem escolhidas? Ou teriam outras sugestões?
Alexandra da Silva

Bibliografia: HELLER, Eva. A Psicologia das Cores: Como actuam as cores sobre os sentimentos e a razão. Barcelona: Editorial Gustavo Gili, SL, 2007.

Sem comentários

Com tecnologia do Blogger.